domingo, 5 de junho de 2016

Sebastian Faulks

... a ler 






Sebastian Faulks nasceu a 20 de abril de 1953, em Donnington, Bershire. Foi educado na “Elstree School” e depois em Wellington College, em Berkshire.

Depois de se formar, Faulks viveu na França por um ano. Quando regressou a Inglaterra,  trabalhou como professor  numa escola particular em Camden Town.

A sua primeira obra “A Trick of the Light” foi publicada em 1986. Tornou-se o primeiro editor literário no “The Independent” em 1986. Em 1989 publicou a obra “A Rapariga do Lion D’Or” (“ The Girl at the Lion d’Or”), a primeira obra histórica publicada em França.
 Em 1991 deixou “The Independent” e escreveu para vários outros jornais. Após o sucesso de “ O Canto dos Pássaros” (“Birdsong”), em 1993, largou o jornalismo para se dedicar à escrita a tempo inteiro.



Uma revista literária afirmou que "Faulks tem o dom raro de ser popular e literário, ao mesmo tempo"; o “Sunday Telegraph” considerou-o "Um dos romancistas mais impressionantes de sua geração que cresce em autoridade com cada livro”. A sua obra “Human Traces”, publicada em 2005, foi descrita por Trevor Nunn como “ Uma obra prima, uma das melhores obras de todos os séculos”.

Faulks é mais conhecido pelos seus três romances cuja narrativa se situa no início do século XX: o primeiro, “A Rapariga do Lion D’Or” ( “A Girl at the Lion d'Or”), publicado em 1989; “ O Canto dos Pássaros” (“Birdsong”) (1993), e Charlotte Cinza (1998). 

Recebeu vários prémios pela sua obra: em 1994, “ British Books Awards Author of the Year”; em 1998 “ James Tait Black Memorial Prize” para ficção com  “Charlotte Gray”; em 2002 foi nomeado Comandante da Ordem do Império Britânico, por serviços prestados à literatura e em 2009 recebeu o prémio “ British Book Awards” de ficção britânica popular pela sua obra “Devil May Care”.

Faulks aparece regularmente na TV e rádio britânicos. Publicou até 2015 cerca de 17 obras.

Em 2011 “Charlotte Gray” foi adaptado para o cinema, com Cate Blanchett e dirigido por Gillian Armstrong.  Em 2010, uma versão teatral de “ O Canto dos Pássaros, adaptada por Rachel Wagstaff ( que já tinha adaptado “A Rapariga do Lion D’Or”  e dirigida por Trevor Nunn, estreou no “Comedy Theatre” em Londres.

Para saber mais sobre o autor, visita a sua página oficial ou o dossier sobre o autor no The Guardian.
 
Luísa Torres

Sem comentários:

Enviar um comentário