terça-feira, 5 de setembro de 2017

Taiye Selasi






Taiye Selasi nasceu a 2 de novembro de 1979, em Londres e cresceu em Brooklin, Massachusetts; era a mais velha de duas gémeas no meio de uma família de médicos. O seu nome significa “primeira gémea” na língua nativa de sua mãe -Yoruba. A sua irmã é fisiatra nos Estados Unidos da América; a mãe, nigeriana, é pediatra no Gana, também conhecida pela defesa dos direitos das crianças e o pai, ganês, é cirurgião na Arábia Saudita e considerado um dos poetas mais conhecidos, publicou numerosos volumes de poesia. Os seus pais separaram-se ainda ela era uma criança e só conheceu o seu pai biológico aos 12 anos.

Selasi graduou-se “Summa cum laude” ( a distinção mais alta), um bacharelato de Yales em Estudos Americanos e uma licenciatura em Relações Internacionais, em Oxford.

Em 2005 “The LIP Magazine" publicou "Bye-Bye, Babar (ou: What is an Afropolitan?)", um texto de Selasi sobre Afro-americanos. Em “Bye Bye Babar”, Selasi descreve uma nova diáspora africana; uma mistura mais alargada que aceita a sua diversidade: “Perhaps what most typifies the Afropolitan consciousness is the refusal to oversimplify; the effort to understand what is ailing in Africa alongside the desire to honor what is wonderful, unique.” Selasi não procura o reconhecimento da origem  do Afropolitarismo, A conversa sobre  Afropolitarismo e o seu ensaio foram o impulso que levou Simon Gikandi e Achille Mbembe a transformar o termo Afro-americano numa ideologia largamente conhecida e utilizada. No mesmo ano em que escreveu o seu ensaio, escreveu também uma peça que foi produzida por Dr.Avery Willis, num pequeno teatro. 

Em 2006, Morrison deu a Selasi o prazo de um ano; ela escreveu "The Sex Lives of African Girls" para cumprir o prazo. A história, publicada na revista literária inglesa “Granta” in 2011, surge em “Best American Short Stories 2012”.

Em 2013, a sua obra “Ghana Must Go” foi publicada e alvo de muitas críticas. Foi selecionada como uma das 10 melhores obras de 2013 pelo “Wall Street Journal” e pelo “The Economist” e foi vendida em 22 países.

Em 2013, Selasi foi selecionada como uma das “Granta′s 20 Best Young British Writers” e em 2014 nomeada para a lista dos 39 escritores “sub- Saharan African”, com menos de 40 anos “Hay Festival's Africa39 “ com o potencial e talento para definir as tendências da literatura africana”.

Selasi colabora frequentemente com outros artistas de diferentes áreas. Em 2015, Selasi apareceu como um autor de destaque, coordenando um seminário sobre a escrita, no “Iceland Writers Retreat” em Reykjavik, Islândia.
 
A sua única obra foi publicada em 2013 “A Beleza das Coisas Frágeis” (“Ghana Must Go”),e encontra-se disponível na Biblioteca Escolar Clara Póvoa.



Entrevistas:
“I’m a Multi-Local Afropolitan” 



”There is no going back. Time moves on, we change, countries change, spaces change.”
Conheça a nova estrela da literature inglesa, Taiye Selasi, nesta entrevista sobre o que significa ser um ser humano num mundo global, procurando um espaço para ser ele próprio.(“Meet the new star of English literature, Taiye Selasi, in this interview about what it means to be human in a global world, searching for a space to be yourself”).


Ted Talk de Selasi sobre as pertenças culturais.



BBC – “Myth of race as opposed to culture”


Luísa Torres

Sem comentários:

Enviar um comentário