quinta-feira, 27 de abril de 2017

O Canto dos Pássaros de Sebastian Faulks


A ler...





Esta é uma obra romântica intensa embora simultaneamente realista, que atravessa três gerações e o inimaginável fosso entre a I Guerra Mundial e o presente. À medida que o jovem inglês Stephen Wraysford vive um tempestuoso romance com Isabelle Azaire, em França, e entra no obscuro e surreal mundo existente por baixo das trincheiras da Terra de Ninguém, Sebastian Faulks cria um mundo fictício que é tão trágico como O Adeus às Armas, de Hemingway e tão sensual como O Paciente Inglês. Inserido entre as ruínas da guerra e a indestrutibilidade do amor, O Canto dos Pássaros é um romance que vai maravilhar o leitor português.


Sobre este livro convém referir algumas críticas de imprensa:


«Magnífico - extraordinariamente bem escrito, profundamente comovedor, rico no pormenor.»  The Times



«Um livro surpreendente - dos mais sensuais que li nos últimos anos… Li-o e voltei a ler e não me lembro de nenhum outro romance que, recentemente, me tenha comovido tanto e me tenha estimulado tão intensamente na reflexão do espírito humano.»
The Daily Mail


«É um livro tão poderoso que quando terminei de o ler voltei à primeira página para começar de novo.»
Sunday Express


Aqui te deixamos algumas passagens para despertar a tua curiosidade.

“ Por vezes, da segurança da sala de estar, fixava os olhos no grupo e na figura vital e calada de Madame Azaire.”


“Sem pensar, esticou o braço e agarrou-lhe a mão, colocando-a entre as suas. Ela virou-se rapidamente para ele, o sangue subindo-lhe impetuosamente para o rosto, os olhos cheios de alarme.”


“Ela não engravidou, e todos os meses quando o período voltava Azaire tornava-se um pouco mais desesperado. Um qualquer sentimento de culpa inconsciente fazia com que se acusasse a si próprio. (...) Por fim os seus sentimentos de frustração começaram a afetar a frequência com que era capaz de desempenhar o ato sexual. Começou também a reparar que havia uma ausência de sensações na sua mulher.”


“Stephen olhou por cima da mesa para Isabelle.(...) Naquele momento Stephen soube que não regressaria a Inglaterra.”
Boas leituras!

Prof. Adélia Maranhão

Sem comentários:

Enviar um comentário