sábado, 24 de junho de 2017

Virginia Woolf



... a ler

Adeline Virginia Woolf nasceu em Kensington, Reino Unido a 25 de janeiro de 1882 e foi escritora, ensaísta e editora britânica, conhecida como uma das mais proeminentes figuras do modernismo.

Cresceu e foi educada pelos pais, que eram bastante liberais em relação à educação dos filhos.

Virginia Woolf começou a escrever ainda muito jovem e publicou o seu primeiro romance em 1915 “A Viagem” (“The Voyage Out” ) que se encontra disponível na Biblioteca Escolar Clara Póvoa




e que abriu o caminho para a sua carreira como escritora e uma série de obras notáveis.
Virginia Woolf era filha do escritor, historiador, ensaísta e biógrafo Sir Leslie Stephen e da sua segunda esposa Julia Prinsep Jackson, que era enfermeira e escreveu um livro sobre a sua profissão.

Desde que nasceu até 1895, Woolf passava as suas férias de verão numa pequena cidade St. Ives, na casa de praia dos pais, que tinha uma vista para um farol “Godrevy Lighthouse” e lhe serviu de inspiração para a sua escrita. Virginia descreveu o local nas suas memórias :

"Nossa casa era [...] no morro. [...] Tinha uma ótima vista [...] de toda a baía até o farol Godreyver. Na encosta do morro, havia pequenos gramados que eram emoldurados por moitas maiores [...]. Entrava-se em Talland House por um grande portão de madeira – [...] e vinha-se, então, à direita para Lugaus [...] De Lugaus, tinha-se uma visão bastante clara da baía."

Apesar de ser uma rapariga alegre, curiosa e brincalhona, sofreu algumas perdas pessoais, que originaram o seu primeiro colapso mental, com apenas 13 anos.

No dia 10 de agosto de 1912 casou com Leonard Woolf.
Após a morte do pai, Virginia e os seus irmãos venderam a casa de família e compraram uma casa na zona de Bloomsbury. Nesta época Virginia conheceu vários membros do Grupo de Bloomsbury, grupo de intelectuais, artistas e críticos de arte. Virginia era membro do Grupo de Bloomsbury e desempenhava um papel importante dentro da sociedade literária londrina durante o período entre guerras.

 Os seus trabalhos mais famosos incluem os romances “Mrs. Dalloway”, publicado em 1925,”To the Lighthouse” (“ Rumo ao Farol”), em 1927  e “Orlando” em 1928, assim como o livro-ensaio  “A Room of One's Own” (“Um quarto que seja seu”) em 1929,um trabalho feminista, onde faz uma análise do papel da mulher na literatura  onde se encontra a famosa citação "Uma mulher deve ter dinheiro e um teto todo seu se ela quiser escrever ficção".

Em 1937 Woolf publicou  sua última obra “”The Years” e no ano seguinte publicou “Three Guineas”, um ensaio que examina a dificuldade que escritoras e intelectuais mulheres enfrentam graças ao fato dos homens deterem desproporcionalmente o poder legal e económico, assim como o futuro das mulheres na educação e sociedade, para além de continuar a referir o tema do feminismo também abordava o fascismo e a guerra.
Ao longo da sua vida Woolf falou regularmente em universidades, escreveu cartas dramáticas e uma longa lista de “short stories”

O seu marido esteve sempre ao lado de Virginia e presenciou a evolução do seu desespero. Virginia Woolf suicidiou-se em 1941, com 59 anos.

Em seu último bilhete para o marido, Leonard Woolf, Virginia escreveu:
“Querido,
Tenho certeza de que enlouquecerei novamente. Sinto que não podemos passar por outro daqueles tempos terríveis. E, desta vez, não vou me recuperar. Começo a escutar vozes e não consigo me concentrar. Por isso estou fazendo o que me parece ser a melhor coisa a fazer. Você tem-me dado a maior felicidade possível. Você tem sido, em todos os aspetos, tudo o que alguém poderia ser. Não acho que duas pessoas poderiam ter sido mais felizes, até a chegada dessa terrível doença. Não consigo mais lutar. Sei que estou estragando a sua vida, que sem mim você poderia trabalhar. E você vai, eu sei. Veja que nem sequer consigo escrever isso apropriadamente. Não consigo ler. O que quero dizer é que devo toda a felicidade da minha vida a você. Você tem sido inteiramente paciente comigo e incrivelmente bom. Quero dizer que – todo mundo sabe disso. Se alguém pudesse me salvar teria sido você. Tudo se foi para mim, menos a certeza da sua bondade. Não posso continuar a estragar a sua vida. Não creio que duas pessoas poderiam ter sido mais felizes do que nós”.

Video sobre o livro: Um Teto Todo Seu


Teatro: “Freshwater – A Comedy” by Virginia Woolf (Harvest Books-Harcourt)

Algumas citações de Virgínia Woolf
“A vida é como um sonho; é o acordar que nos mata.”
 “Escrever é que é o verdadeiro prazer; ser lido é um prazer superficial.”
“Não há barreira, fechadura ou ferrolho que possas impor à liberdade da minha mente.”
“Escrever é que é o verdadeiro prazer; ser lido é um prazer superficial.”
“Há quem procure o padre, outros refugiam-se na poesia, eu procuro os meus amigos.”
“O poeta entrega-nos a sua essência, mas a prosa toma a forma de todo o corpo e de toda a mente.”
“Crescer é perder algumas ilusões, para ganhar outras.”
 Boas leituras!
Luísa Torres



Sem comentários:

Enviar um comentário