terça-feira, 13 de outubro de 2015

Beatriz de Portugal

... a ler


Fig. 1 - Paula Cifuentes
Da autoria de Paula Cifuentes, uma jovem escritora espanhola, neste livro é-nos apresentada a história de uma princesa portuguesa que passa sempre despercebida aos nossos olhos quando estudamos a história de Portugal: a história de D. Beatriz, a filha bastarda mais velha de D. Pedro e da sua mais famosa amante, Inês de Castro.



Esta história é-nos contada a partir de dois planos entrecruzados: no primeiro (chamado “Capitulo do Filho”) a história é relatada pela própria Beatriz, que reflete, entre outros, sobre alguns aspetos da sua vida após a morte da mãe, tais como a entrada na corte portuguesa e o casamento com um fidalgo espanhol de nome Sancho; no segundo (chamado “Capítulo do Pai”) a história é contada por um outro narrador, que nos conta toda a história dos primeiros anos de vida de Beatriz, incluindo alguns aspetos da vida amorosa de Pedro e Inês e ainda os acontecimentos que levaram à decisão de degolar a dama castelhana. No final, os dois planos fundem-se, passando a história a ser contada por Beatriz, que nos desvenda o final da sua história ao mesmo tempo que faz uma breve reflexão sobre a sua vida, que passo a citar: “Na realidade, não fui assim tão má. Só me limitei a viver como as circunstâncias me ditaram. Espero que o meu julgamento não seja assim tão terrível. Só isso.”

Gostei bastante deste livro, o qual me permitiu perceber melhor os costumes e o modo de vida de um Portugal e de uma Castela da Idade Média, aonde a mulher é totalmente objetificada a todos os níveis, o que não lhe permitia, por exemplo, tomar posição em relação a qualquer assunto que não as lides domésticas, vestir o que quisesse ou até mesmo ir para onde quisesse sem necessitar da permissão do marido, que era seu dono e senhor e ao qual deveria obedecer sem qualquer hesitação. Atrevam-se a dar uma espreitadela!  


Diana Cruz, 12ºLH2

Sem comentários:

Enviar um comentário