terça-feira, 17 de janeiro de 2017

A rapariga que inventou um sonho, de Haruki Murakami.




A ler…


Fig. 1 - Haruki Murakami

Gostas de pequenas histórias? Então vais encontrar neste livro o prazer de ler contos curtos que vão mexer com a tua imaginação e outros são de cortar a respiração. Atreve-te a ler este livro e verás que valeu a pena.

Em A Rapariga que Inventou Um Sonho, o autor do best-seller Kafka à Beira-Mar envolve a fantasia com a mais natural das realidades. Do surreal ao mundano, estas histórias exibem a sua habilidade de transformar o curso da experiência humana na mais pura e surpreendente arte literária. 

Há corvos animados, macacos criminosos, um homem de gelo… Há sonhos que nos moldam e coisas que sempre sonhámos ter… Há reuniões em Itália, um exílio romântico na Grécia, umas férias no Havai… Há personagens que se confrontam com perdas dolorosas, outras que se deparam com distâncias inultrapassáveis entre os que querem estar o mais próximo possível. 

 


Quase todas as histórias são melancólicas, com personagens submersas pela solidão. Murakami junta os seus temas favoritos: os acontecimentos inexplicáveis (o tal toque de fantástico que provoca por vezes a sua inclusão na corrente do realismo fantástico), as coincidências, o jazz, os pássaros e os gatos. Tal como foi escrito no Los Angeles Times Book Reviey, "Murakami abraça o fantástico e o real, cada um com a mesma envolvência de intensidade e luminosidade."

«Os contos recolhidos nesta antologia foram escritos entre 1981 e 2005 e são a outra parte da sua arte de narrador exímio, onde o insólito coabita paredes meias com o mais comezinho quotidiano. Os seus personagens são seres solitários em busca de uma brecha no muro cinzento da existência, e muitas vezes isso acontece nas situações mais inesperadas e com resultados igualmente surpreendentes. As coincidências e situações mais ou menos inexplicáveis fazem parte do arranjo narrativo, mas todas elas encerram uma oportunidade ou um desafio. (...) Nestas histórias, que vão da fábula ao conto de "fantasmas", um tema bem japonês aliás, há de tudo um pouco. E a variedade de acontecimentos inclina para uma toadas melancólica, com salpicos de fantástico. Um livro para apreciadores de boa prosa, luminosa e cativante.»
Um aviso para ti que vais ler: Vais ficar viciado.
Boas leituras
Adélia Maranhão

Sem comentários:

Enviar um comentário