sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Taiye Selasi



... a ler


Taiye Selasi nasceu em Londres, a 2 de novembro de 1979, e foi criada em Massachusetts. O pai, do Gana, vive na Arábia Saudita, e a mãe, nigeriana, vive no Gana. 


 
Taiye Selasi tem um bacharelato de Yale em Estudos Americanos e uma licenciatura de Oxford em Relações Internacionais. Vive entre Nova Iorque e Nova Deli e, atualmente, em Roma.

Com textos que figuram nas melhores publicações de contos e de ficção breve (“Granta e Best American Short Stories”), Taiye Selasi tem sido fortemente aclamada pelo seu primeiro romance publicado em Portugal e em mais quinze países “A Beleza das Coisas Frágeis” (“Ghana Must Go”), que pode encontrar na BECP.




Esta obra tem o trunfo de pertencer a uma era de transfiguração social norte-americana, onde minorias étnicas, com todo o mérito, ascendem e se estabelecem numa classe média robusta. Incluídos estão os filhos de imigrantes africanos voluntários, por contraste ao passado esclavagista. São a nova burguesia endinheirada, com profissões liberais e salários estáveis, capaz de dar voltas ao estômago da direita conservadora americana: procuram quebrar (com força) estereótipos que persistam – e persistem.

Aquilo a que a autora tem vindo a apelar, um mundo onde as categorias literárias não sejam pautadas pela etnia ou localização geográfica (a literatura africana, por exemplo), está lado a lado com breves comentários sociais sobre ser-se negro na América de hoje. Para além da temática da perda e do “descobre-te a ti mesmo”, “A Beleza das Coisas Frágeis” sugere uma consolidação de um mundo globalizado que não sente saudade alguma da sua pesada herança colonial.

Em 2013 Selasi foi selecionada como um dos Granta 's 20 Melhor Jovem escritores britânicos.

Selasi colabora frequentemente com outros artistas. Em 2012 em parceria com o arquiteto David Adjaye cria o Gwangju Rio Sala de Leitura, uma biblioteca ao ar livre, erguida em 2013 no âmbito do Folly II da Bienal de Gwangju.  Taiye Selasi é produtora executiva de Afripedia, uma série de documentários sobre criativos africanos urbanos, está a desenvolver Exodus, um documentário sobre a migração global. 



Em TAD Talk, outubro 2014 a autora fez uma apresentação sobre “Quando alguém vos pergunta de onde são... por vezes não sabem como responder?”

Taiye Selasi fala em nome das pessoas "multilocais" que se sentem em casa na cidade onde cresceram, na cidade onde vivem hoje e talvez em mais um ou dois locais. "Como é que eu posso pertencer a uma nação?" pergunta. "Como é que um ser humano pode derivar dum conceito?"
Luísa Torres

Sem comentários:

Enviar um comentário