quinta-feira, 21 de maio de 2015

Dia da diversidade cultural para o diálogo e o desenvolvimento


A insustentável leveza dos ideais

            O Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento é, anualmente e desde 2003, comemorado a 21 de maio, embora UNESCO tenha adotado a Declaração Universal sobre a Diversidade Cultural ainda no ano de 2001.
           Vivendo na Era da Globalização, o Homem moderno deve estar já acostumado à presença de elementos e práticas culturais diferentes da do seu país de origem na sua vida. Afinal, quantos não se identificarão com o exemplo de pessoa que, de vez em quando, come pizza italiana ou sushi japonês, cuja etiqueta das peças de vestuário indica a célebre expressão ''Made in China'', cujo relógio é da melhor marca suíça, e que, à noite, liga a televisão para acompanhar as mais recentes séries americanas, não sem antes trazer para o seu lado o mais saboroso chocolate produzido com cacau da Costa do Marfim?

Fig.1 - Imagem alusiva à ''Aldeia Global''
            A verdade é que o veloz desenvolvimento dos transportes e das novas tecnologias, ao longo das últimas décadas, tem aproximado todo o mundo, formando uma dita Aldeia Global. Ainda assim, por mais vantagens que estas novas dinâmicas internacionais possam trazer-nos, há aspetos negativos que não devemos ignorar, se queremos realmente contribuir para a construção de um mundo mais unido, justo e igualitário. No caso do estereótipo elaborado acima, é de realçar que o ser-se ''cidadão do mundo'' implica consequências (talvez) inadvertidas de que não nos deveríamos orgulhar. Isto é, não teremos responsabilidade moral sobre a exploração laboral de miseráveis trabalhadores chineses ou marfinenses?
            Outro caso é o dos milhões de migrantes que se têm deslocado para outros países em busca de melhores condições de vida ou de realização pessoal, não meramente a nível económico, como também por motivos bélicos, sociais e de exílio político e religioso. Nas grandes metrópoles e cidades cosmopolitas, deambular por entre cidadãos de outras nacionalidades ou etnias é já um hábito; contudo, até nesses locais há, por vezes, conflitos raciais e o sentimento de preconceito ou xenofobia.
            A Diversidade Cultural é uma ideia que deve estar presente na nossa vida e ser encarada de forma positiva, pois, além de o contacto intercultural trazer benefícios económicos visíveis, há muito a aprender com indivíduos que, por terem nascido numa região mais ou menos longínqua, têm modos de vida diversos, pensamentos contrastantes quanto a determinados assuntos (sejam o sentido da vida, a morte e o luto, a religião ou até o papel da mulher na sociedade, por exemplo).


Fig. 2 - Diálogo Intercultural
                Mais do que tudo, é essencial fomentar o Diálogo entre culturas, diálogo esse que promova a tolerância e a paz, respeitando honestamente as diferenças do outro. Contudo, ainda que possam existir diferenças radicais no que toca a ideologias morais de certas sociedades que, na prática, violem Direitos Humanos universalmente reconhecidos, é nossa obrigação tentar intervir pacificamente. O Diálogo de tolerância deve constituir os alicerces fundamentais para políticas que visem o Desenvolvimento (já agora, sustentável), sobretudo nos países do chamado ''Terceiro Mundo''.
            Concluindo, nem só vantagens têm surgido com a aproximação cultural dada nos últimos anos; para combater os problemas notados, sobretudo no que toca aos Direitos Humanos, urge um Diálogo diplomático entre nações, mas, mais do que isso, ações que, na prática, criem condições para um mundo melhor. Vale a pena refletir um pouco nesta problemática…


                                                                                  Ana Margarida Simões, 12ºLH

Referências Bibliográficas:

Instituto Camões. (21 de maio de 2014). Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento. Disponível em: http://www.instituto-camoes.pt/lingua-e-cultura/dia-mundial-da-diversidade-cultural-para-o-dialogo-e-o-desenvolvimento