segunda-feira, 27 de abril de 2015

Hans Christian Andersen

… a ler


A propósito dos 210 anos do seu nascimento, escrevo este mês sobre Hans Christian Andersen.

Fig.1 – Fotografia de Hans Christian Andersen, em 1869

Este autor nasceu no seio de uma família humilde a 2 de abril de 1805 em Odense, Dinamarca. Desde cedo foi incentivado a desenvolver a imaginação e a criatividade pelo pai, que lhe possibilitou a aprendizagemda leitura, contando-lhe muitas histórias tradicionais, fabricando até um pequeno teatro de marionetas, onde apresentava algumas peças de Shakespeare. Com a morte do pai em 1816, Hans viu-se obrigado a desistir da escola e a começar a vida laboral, trabalhando primeiramente como aprendiz de tecelão, evoluindo até alfaiate. Tendo uma excelente voz branca, foi aceite em 1819 no Teatro Real da Dinamarca. No entanto, devido a todos os processos biológicos, a sua voz “mudou”, deixando pouco tempo depois o seu papel de voz branca e assumindo o papel de ator e bailarino. Hans, depois do seu “falhanço musical”, começou a escrever a sério por influência de um amigo que o considerava um poeta.
Em 1828 foi admitido na Universidade de Copenhaga em Filologia, acabando por alcançar  o reconhecimento internacional em 1835, quando lançou o romance O Improvisador, na sequência das viagens que o tinham levado a Roma, depois de passar por vários países da Europa.

Fig.2 – Edição espanhola de O Improvisador

Apesar de ter escrito diversos romances para adultos, livros de poesia e relatos de viagens, foram os contos de fantasia para crianças que tornaram Hans Christian Andersen famoso, especialmente porque na época não era normal serem escritos livros dirigidos às crianças.
No final de 1872, Hans ficou gravemente ferido ao cair da própria cama, permanecendo com a saúde debilitada até 4 de agosto de 1875, data do seu falecimento, tendo sido sepultado em Copenhaga.
Hans Christian Andersen tem um vasto espólio literário, de onde se destacam: O Patinho Feio, O Soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia, A Princesa e a Ervilha e A Pequena Vendedora de Fósforos.
Graças à sua contribuição para a literatura infanto-juvenil, foi estabelecido o dia 2 de abril, data do seu nascimento, como o Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil e dado o seu nome ao mais importante prémio internacional de literatura infanto-juvenil - o prémio Hans Christian Andersen.
Como nota de curiosidade, Hans Christian Andersen visitou Portugal em 1866, a convite da família O'Neill. Durante a sua estadia de cerca de dois meses, registou as suas impressões sobre várias cidades portuguesas (onde se incluem Lisboa, Setúbal e Palmela), tecendo grandes elogios às suas paisagens.


Afonso Marques, 12.º CT3

Referências bibliográficas
Wikipedia. (2 de fevereiro de 2015). “Hans Christian Andersen”. Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Hans_Christian_Andersen
Infopédia. (s/d). “Hans Christian Andersen”. Disponível em http://www.infopedia.pt/$hans-christian-andersen
Bio. (s/d). “Hans Christian Andersen”. Disponível em http://www.biography.com/people/hans-christian-andersen-9184146